Escreva mais cartas para seus filhos

Estou sempre batendo nesta tecla e você pode até me chamar de chato, mas se minha chatice te levar a escrever mais cartas para seus filhos, eu estarei realizado paizão!

Uns dias atrás fui a Brasília e quando voltei, já tarde da noite, em cima do meu computador estava lá uma cartinha do meu filhote David. Eu estava cansado, mas uma carta do David, de tamanho razoável era demais pra minha cabeça. Pensa, a primeira carta que recebo dele! Eu fiquei todo bobo, babão mesmo.

Existe certeza, não há como ter colheita se não houver semeadura. Parece simples, mas no que tange a criação de filhos isso é uma regra de ouro!! Escreva mais cartas para seus filhos paizão! Nunca escreveu uma, nem ao menos um bilhete? Bem, comece então por aí… Escreva um bilhete, algo simples, do tipo: Papai te ama! Você irá perder o chão (no bom sentido) com a reação e com os frutos desta semeadura.

Dá uma olhada aqui abaixo na maravilha da carta do David!

Carta do Davizão - Arquivo pessoal

Carta do Davizão – Fonte imagem: arquivo pessoal

Confesso que a li nessa noite mesmo umas 5 vezes, na mesma hora. Tentei imaginar a carinha dele escrevendo, a dificuldade em lembrar de como é que escreve cada palavra, o esforço em manter o “ritmo” e a alegria então de ter conseguido, pela primeira vez, escrever tanta coisa que estava em sua mente e também no coração.

Há algo aqui que precisa ser dito. A leitura ajuda muito paizão! E como?? Quero deixar muitas coisas para ele nessa vida e não estou falando só de “coisas”, mas realmente de COISAS, sacou? rsrsrs E ler é uma dessas coisas boas que ficam para sempre! Se transformar em um bom e caro hábito.

O David e a Clarinha gostam muito de ler e isso é fruto de associação e de semente. Estou sempre com um livro por perto, eles sabem que gosto de ler e viajar nas letras desta jornada. E quando percebo que morderam a isca, eu os incentivo, me alegro e invisto meu tempo neles e na leitura junto com eles. Lemos muito juntos e isso se traduz no nosso dia a dia.

Precisamos de uma campanha: menos eletrônicos e mais livros em casa!

A diferença entre fazer e não fazer algo, é fazer algo!

Este é um axioma filosófico simples mas complexo, pois atinge o centro de todas as coisas que merecem a devoção de nossa energia. Podemos falar, pregar, gritar e entusiasmar, mas ao menos que ajamos em conformidade, a mudança será mínima, ou zero!

Gosto muito da história que Jesus nos conta na Bíblia, no livro de Mateus 7.24-27, sobre os dois construtores. Um construiu a casa sobre a areia, o outro sobre a Rocha. Veio o vento, a tempestade, chuva e as ondas e derrubou só uma casa das duas que foram construídas. Qual será? A que foi construída sobre a areia, é claro. Importante salientar que os dois tiveram o mesmo esforço, os dois construíram uma casa. Mas apenas uma ficou de pé diante das adversidades.

Jesus de uma maneira sábia e precisa, explica que aquele que construiu a sua casa sobre a Rocha é o homem prudente, que ouve essas coisas e pratica e comparando ao que construiu a sua casa sobre a areia, está então o tolo, que ouve as mesmas coisas mas não as pratica.

Aí está o segredo paizão! Não basta ouvir, falar ou esbravejar, tem que praticar! Ser prudente e coerente com aquilo que acredita e com aquilo que prega. Lembre-se disso e pratique, caia de cabeça para a ação!

Feito é melhor que perfeito. (depois precisamos conversar melhor sobre isso também…)

Tenha uma ação e espere uma reação

Existe algo de muito precioso no ato de escrever. Então vá a luta!

Dedique atenção aos temas que tenham significado para ele ou relacionado a algo que você tenham discutido antes e conversando com ele sobre esses temas pergunte:

  • Por que este assunto é importante?
  • Por que ele é importante para você?
  • O que você gostaria que acontecesse a respeito disso?
  • Se pudesse fazer algo para mudar a situação, o que você faria?

A medida que ele começar a observar mais os assuntos que o afetam pessoalmente, trabalhe com ele no rascunho de uma carta expressando sua preocupação com esse assunto em particular ou com vários outros.

O objetivo aqui também é ajudá-lo a expressar os sentimentos sobre algum assunto dando-lhe razoável esperança de que será ouvido e receberá uma resposta.

Esse será um exercício democrático muito positivo e a resposta pode deixar uma marca que durará para sempre. Animá-lo a tomar iniciativa e agir com suas palavras desenvolverá uma mentalidade para agir com convicções e assumir o risco em relação aos resultados.

Experimente fazer isso. Mas que comece contigo paizão. Escreva mais cartas para seus filhos!

Junte-se a nós na comunidade #vidaboadepai! Se você tem interesse em compartilhar momentos, inspirar outros pais, contar histórias ou fazer um depoimento, envie então um e-mail para: eutenho@vidaboadepai.com.br. Iremos ler, responder e se você quiser, contar a sua história aqui no blog Vida Boa de Pai.

Comentários do Facebook

comentários

Comente aqui