Dando o nosso coração

Há momentos na vida que pensamos em esquecer, mas também torcemos para que se mantenham para sempre conosco. Nós somos fruto de nossas alegrias, mas também das tristezas. É impossível ter uma sem a outra.

Um desses momentos se deu a alguns anos, assim que cheguei como imigrante em Portugal. Minha esposa e eu tínhamos investido todos os nossos recursos financeiros para irmos a terra de Camões e estávamos ainda começando a trabalhar e com muitas dívidas de viagem.

Eu havia conseguido um trabalho de reparações em prédios residenciais administrados pela prefeitura. Estava na laje de um dos prédios limpando as calhas para escoamento de água (cheia de fezes de animais e pombos mortos). Enquanto limpava, pensava em meu pequeno filho, então com quatro anos. O pequenino estava feliz por estarmos juntos, mas muito triste por ter que abandonar a maioria de seus brinquedos no Brasil.

Eu queria muito compensá-lo com brinquedos ou qualquer presente. Lágrimas rolavam silenciosamente de meus olhos, pois mal tínhamos recursos para nossa própria subsistência. Enquanto meditava nessas coisas peguei uma pedra lisa, que vi largada sobre a laje. Uma pedra simples, mas que tinha o formato de um coração.

Guardei a pedra e ao final do dia dei ao meu filho, dizendo que havia lembrado dele e que ela refletia o quanto eu o amava.

Todo dinheiro do mundo seria pouco para expressar a alegria que vi em seus olhos. Era como se eu o tivesse presenteado com o brinquedo mais caro do mundo! Ele a pegou me deu beijo demorado e disse “obrigado papai”.

Apesar de seu lindo gesto, pensei que até o final da semana , ele se desfaria da pequena pedra. Mas para minha surpresa ao limpar seu quarto, quase cinco anos depois, encontrei a linda e importante pedrinha.

Dando o nosso coração. Imagem fonte: Reprodução / Internet

Dando o nosso coração. Imagem fonte: Reprodução / Internet

Fico hoje imaginado, se com tudo o que temos e que podemos dar aos nossos filhos, o que realmente estamos dando aos nossos filhos? Gastamos dinheiro com lindos pedaços de plastico, ou ferro, elétricos ou manuais, cheios de apetrechos… mas vazios de significado.

Peço a Deus que nos dê a graça de todos os dias aprendermos a dar aos nossos filhos o que sempre será o mais importante… Nossos corações!

Um grande abraço e uma linda caminhada.

Fabrício Barbosa e seus filhos Samuel e Daniel.

Fabrício Barbosa e seus filhos Samuel e Daniel.

 

Fabrício Barbosa é pai presente, apaixonado e dedicado de dois lindos garotos. Também é acadêmico de Psicologia, Palestrante, Master Practitioner em PNL, Coaching de Vendas  e Consultor de Negócios na CDL de Goiânia. Contato com ele através do e-mail: fabriciopnl@gmail.com

 

 

 Junte-se a nós na comunidade #vidaboadepai! Faça como o Fabrício Barbosa (meu xará)!! Se você tem interesse em compartilhar momentos, inspirar outros pais, contar histórias ou fazer um depoimento, envie então um e-mail paraeutenho@vidaboadepai.com.br. Iremos ler, responder e se você quiser, contar a sua história no blog Vida Boa de Pai.

Comentários do Facebook

comentários

Comente aqui