Caindo em si, ele disse…

No dia 05 de setembro de 2017 fez um ano que eu, minha esposa e meus dois filhos (Eduardo José, 6 anos e Marina, 2 anos) deixamos tudo para morar na Austrália, e certos que estávamos dentro da vontade de Deus. Foi uma decisão muito difícil que eu e minha esposa tomamos, pois não somente iria afetar nossas vidas, mas também as vidas de nossos filhos. Ver meu filho Eduardo José deixando os amigos e principalmente o primo dele Rafael, foi realmente de partir o coração, eles cresceram juntos e era o seu meu amigo.

E desde que chegamos na Austrália temos tomado várias decisões, no qual tem afetado a vida de nossos filhos; mudança de escola, mudança de casa e mudança de escola outra vez justo na hora que ele (Eduardo José) tinha feito amigos, e agora ter que procurar novos amigos outra vez. Deus sabe o quanto eu tenho orado para que estas decisões não afete a vida deles de uma forma que eles se percam no caminho, mas que todos estes desafios possam fazê-los crescerem forte.

Recentemente, tenho pensado bastante na história sobre A Parábola do Filho Pródigo que é contada por Jesus na Bíblia. Fiquei imaginando onde que o pai tinha errado ou se ele tinha tomado alguma decisão que fez seu filho ter decidido pedir a parte dele da herança, vender tudo e ir embora.

Mas o que mais me chamou atenção foi a parte quando ele perdi todo o dinheiro e vai trabalhar cuidando de porcos. A história conta que ele estava faminto e desejou até comer a comida dos porcos. Neste momento ele pensou, ou como a bíblia descreve: Caindo em si, ele disse: ‘Quantos empregados de meu pai têm comida de sobra, e eu aqui, morrendo de fome!  Eu me porei a caminho e voltarei para meu pai, e lhe direi: Pai, pequei contra o céu e contra ti.  Não sou mais digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus empregados’. A seguir, levantou-se e foi para seu pai.

Esta parte no qual a bíblia conta que ele caiu em si, e lembrou do pai, não foi uma lembrança do pai que o disciplinou, que tomou decisões que o fez sofrer ou qualquer outro tipo de erro que o pai tenha cometido, mas foi uma lembrança de um pai que deu um bom testemunho, que era segurança, que foi exemplo.

Este testemunho foi o caminho que o levou de volta para casa. E este testemunho que fará os meus filhos lembrar do caminho de volta para casa, não será o dinheiro que juntou, a graduação que foi conquistada, os países visitados e os presentes recebidos, mas sim o testemunho de uma vida de fé, amor e esperança, no qual somente conseguiremos viver isso através da graça de Deus. Testemunho que fará nossos filhos se levantarem, cairem em si e voltarem para casa do Pai.

 

Eduardo de Paula (Dudu) é paizão de um lindo casal e casado com a Carolinne. Atualmente moram, trabalham e estudam na Austrália.

 

 

Faça como o Dudu, junte-se a nós na comunidade #vidaboadepai! Se você tem interesse em compartilhar momentos, inspirar outros pais, contar histórias ou fazer um depoimento, envie então um e-mail para: eutenho@vidaboadepai.com.br. Iremos ler, responder e se você quiser, contar a sua história aqui no blog Vida Boa de Pai.

Comentários do Facebook

comentários

Comente aqui